Política

  • Início •
  • Blog

Alessandro se posiciona sobre contas do PSDB e garante: “Tudo foi aplicado corretamente”

Da redação

06/06/2024


Nesta quinta-feira, 6, o Jornal da Fan entrevistou o senador Alessandro Vieira, que se pronunciou após o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SE) declarar não prestadas as contas do diretório sergipano do partido PSDB, sigla do qual o senador fazia parte. 

Ao responder o questionamento,  Alessandro Vieira disse que o entrave trata-se apenas de uma questão burocrática, e até se isentou de possíveis erros durante sua passagem na sigla. “É uma situação muito tranquila e burocrática. Não existe nenhum erro da minha parte, não é nessa questão que se pega a decisão do Tribunal Regional Eleitoral. A prestação de contas de campanha  foi tramitada normalmente. A prestação de contas do partido, que tem seus prazos, não foi cumprida naquela transição de gestões. Eu entro no PSDB no dia 30 de março de 2022, se não estou enganado, e saio no início de junho de 2023. O prazo para prestação de contas ele se arrasta adiante disso, ele vai para julho e agosto, e os documentos todos estavam disponíveis”, explicou o senador. 

Além disso, Alessandro Vieira ressaltou que toda a documentação necessária para a prestação de contas está disponível e já foram entregues ao tribunal. “Imagino que seja só uma questão, realmente, da desorganização na transição das direções. A gente lembra que teve uma grande disputa política [no partido] que se arrastou por um tempo grande e isso gerou essa burocracia. Já vai ser apresentado o pedido de reconsideração, os documentos já estão no tribunal e tudo foi aplicado corretamente”, reforçou.

A decisão do TRE

Na última terça-feira, 4, membros do Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe decidiram declarar não prestadas as contas do diretório sergipano do PSDB, referentes ao exercício financeiro de 2022.  A decisão implica na necessidade do partido em devolver quase R$ 1 milhão.

Segundo o órgão,  as contas devem ser declaradas como não prestadas quando, após intimados, o órgão partidário e os responsáveis permanecem omissos. Caso não seja regularizada, o partido pode receber diversas sanções,  incluindo a perda do direito ao recebimento de recursos públicos, como o Fundo Partidário e o Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC). Além disso, o PSDB terá que devolver a integralidade dos recursos recebidos devido à falta de comprovação da regularidade do uso do dinheiro público.

 

 

Nosso Twitter @portalfanf1

Nosso Instagram @portalfanf1