Cerca de 300 taxistas bandeirinhas fazem nesta terça-feira a “Lotação Solidária”, um ato de protesto e de pressão contra o transporte clandestino de passageiros e para pressionar o prefeito Edvaldo Nogueira a aprovar proposta de criação do serviço de taxi-lotação da Zona Sul de Aracaju (SE).

A “Lotação Solidária” é o ato de transportar passageiros de graça de um determinado ponto a outro da capital. Nesta terça, o ponto de partida foi na Coroa do Meio e o de chegada o Centro da capital sergipana. O ato, que está sendo feito em forma de rodízio entre os taxistas, deverá permanecer até o meio-dia na praça João Durval. Outros irão ocorrer em outros locais da cidade, garantem os manifestantes, que fazem parte do Sindicato dos Taxistas de Sergipe (Sintax).

A auxiliar técnica Ane Carolina torce pelo taxi-lotação na região onde mora. Foto Fan F1

A auxiliar técnica Ane Caroline aprovou a ideia e foi trabalhar nesta terça-feira de “lotação solidária”. “Apoio essa iniciativa porque é importante esse transporte principalmente para essa região aqui da Atalaia”, disse.

Segundo o taxista João Rocha, há cerca de três anos eles aguardam a liberação do taxi-lotação para a Zona Sul. “Enquanto isso, os clandestinos vêm agindo livremente na área”, reclamou. Ele disse que a categoria criou um projeto que engloba cerca de 300 taxistas para fazer parte desse sistema de transporte e que este projeto já está na Superintendência Municipal de Trânsito e Transportes de Aracaju (SMTT) desde 2015, sem nenhum avanço.

Reunião na sede da SMTT. Foto: SMTT

Ontem, 3, houve uma reunião na sede da SMTT para tratar desse assunto, mas segundo João Rocha, não houve avanço porque o superintendente é novo na pasta.

Segundo a SMTT, o superintendente Renato Telles ouviu as demandas apresentadas pelos taxistas e explicou que alternativas estão sendo avaliadas pela Prefeitura de Aracaju dentro do plano de mobilidade.