A defesa do  ex-prefeito de Capela (SE)  e candidato a deputado federal pelo PTC, Manoel Sukita  protocolou nesta terça-feira, 18, um pedido de transferência junto ao Departamento do Sistema Penitenciário de Sergipe (Desipe). A solicitação foi aceita e a mudança aconteceu no início da tarde desta terça. Agora, Sukita cumpre a pena de 13 anos, por corrupção eleitoral, no Presídio Regional Senador Leite Neto, em Nossa Senhora da Glória (SE), onde ficará em cela isolada. A informação foi confirmada pela Secretaria de Estado da Justiça (Sejuc).

Sukita estava preso no Complexo Penitenciário Advogado Antonio Jacinto Filho (Compajaf), no bairro Santa Maria em Aracaju (SE). Ele foi transferido para a unidade prisional na segunda-feira, 17, depois de se entregar na sexta-feira, 14, na sede da Polícia Federal e passar o final de semana na 8ª Delegacia Metropolitana da Capital, até que fosse realizado o exame de Corpo de Delito no Instituto Médico Legal (IML).

De acordo com o advogado Emmanoel Cacho, quando Sukita foi preso em 2014, ficou detido no Complexo Penitenciário Advogado Antonio Jacinto Filho (Compajaf) e lá ele alega ter sido torturado. “Sukita já foi sentenciado e as unidades em Sergipe que abrigam presos nessa condição são as de Tobias Barreto (SE) e Nossa Senhora da Glória (SE)”, informou.