A experiência do primeiro mandato e a possibilidade de uma mudança de partido foram destaque durante entrevista que o vereador de Aracaju, Palhaço Soneca (PPS), concedeu na manhã desta segunda-feira, 14, ao radialista Narcizo Machado do Jornal da Fan. O parlamentar revelou que já recebeu convites do PT e do PSD para deixar seu partido atual, mas que esse é um assunto sob análise. “Não tenho nenhuma definição. Preciso avaliar vários pontos”, afirmou.

Foto: Fan F1

Soneca também falou sobre a alegria de representar o povo aracajuano tendo sido escolhido de forma significativa pela comunidade do bairro São Carlos, na Zona Oeste de Aracaju. “Nesta comunidade tivemos um grande parlamentar, que foi o empresário Sandro de Miro, em quem eu me inspirei. Quando ele disse que não iria mais disputar cargo eletivo, eu vi a oportunidade de me colocar à disposição do povo e colaborar para ajudar a população do meu bairro e aqui estarei fazendo isto até o dia que o povo me permitir”, destacou.

Mudança

Soneca foi eleito fazendo parte da bancada de oposição, mas durante o exercício parlamentar migrou para situação e hoje faz parte da bancada de apoio ao prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB). Questionado se isso teria provocado críticas negativas por parte de seus eleitores, Soneca disse não. “Muito pelo contrário,  o povo reconheceu que ao lado de Edvaldo, tenho o acesso muito mais fácil a ele e desta forma a população é mais facilmente beneficiada”, destacou.

Polêmica

O vereador Palhaço Soneca, foi uma dos líderes do movimento de oposição ao projeto de lei criado pela vereadora Kitty Lima para extinção das carroças de tração animal em Aracaju, barrado pelo plenário da Câmara Municipal de Aracaju. Ele comentou sobre o assunto. “Admiro o trabalho da parlamentar e sua dedicação, mas apesar disso, sei que o projeto dela não prática não provoca o efeito esperado. Ela propões que carroceiros façam cursos para que depois sejam inseridos no mercado de trabalho. Depois quando? Várias famílias são sustentadas com o renda gerada através do trabalho feito com as carroças. Portando eu preciso defendê-las”, finalizou.