O julgamento do farmacêutico João Monteiro Fontes e Nadja Tavares, mãe de Joice Tavares de Almeida, terminou por volta das 21h30 desta quinta-feira, no Fórum Gumercindo Bessa em Aracaju (SE). Ele foi condenado a  16 anos de reclusão em regime fechado, já ela, recebeu a condenação de 11 anos e um mês também em regime fechado. O juiz Alício de Oliveira Rocha Júnior, da 5ª Vara Criminal também fixou o pagamento de multas para ambos.

Joice Tavares de Almeida- jovem morta/ Foto: arquivo pessoal

Os dois são considerados culpados pela morte da jovem  Joice Tavares de Almeida de 17 anos em 2003. De acordo com a denúncia do Ministério Público Estadual, Nadja teria obrigado a filha a procurar o farmacêutico para realizar o aborto em sua farmácia que funcionaria como uma clínica clandestina, fazendo o uso do medicamento Cytotec.

A defesa dos dois deve ingressar com recurso de apelação para que seja formado um novo conselho de sentença. Os réus respondiam ao processo em liberdade desde 2006 e devem permanecer soltos até que os embargos sejam julgados.