Dois investigados da Operação Jardim do Éden foram soltos nesta segunda-feira, 24, por decisão da 4ª Vara Criminal da Comarca de Aracaju. Wainer Schweter Ganda e Lucas Schunk Lins estavam presos desde o dia 28 de agosto, quando o Tribunal de Justiça de Sergipe determinou o retorno de cinco jovens, supostos articuladores de tráfico de drogas no estado, para prisão.

Na decisão desta segunda, a Juíza Lidiane dos Santos Andrade entendeu que os indícios apontados como fundamentais para a prisão dos suspeitos são insuficientes para mantê-los presos.

Segundo Walter Neto, advogado de Wainer, o cliente não seria um dos traficantes de drogas e sim um usuário. Com o rapaz, foram aprendidos 28 gramas da droga sintética MDMA, também conhecida como Michael Douglas, 20 gramas de maconha, além de haxixe, ecstasy e uma balança de precisão.

Apesar das solturas, Wainer e Luvas devem cumprir medidas cautelares, como o comparecimento periódico à justiça para informar atividades realizadas durante o período de liberdade ou mudança de endereço.

Dividida em duas fases, a Operação Jardim do Éden foi deflagrada pela Polícia Civil, através do Departamento de Narcóticos de Sergipe (Denarc), em maio e junho deste ano com a prisão de supostos envolvidos em associação criminosa, responsável por comercialização de drogas sintéticas em Sergipe. À época, um dos investigados teria afirmado que Aracaju é o paraíso das drogas sintéticas.