Em segunda votação que se estendeu pelo início da tarde desta terça-feira, 4, a Câmara de vereadores de Aracaju (CMA) reprovou com 11 votos contrários, o projeto de lei de iniciativa da vereadora Kitty Lima (REDE) que previa o fim gradativo das carroças em Aracaju.

O projeto foi debatido num contexto de muita polêmica e a bancada da Rede ficou isolada, sem apoio. Houve uma tentativa de tirar o projeto de pauta por 45 dias, mas a bancada de situação não topou o acordo. Liderados pelo vereador Soneca (PPS) um grupo de carroceiros fez protesto na frente da CMA contra a aprovação do projeto e não saiu de lá até o fim da votação.

Ao final, numa votação com a presença de 15 vereadores, apenas quatro votaram sim e o projeto foi rejeitado. A propositura só poderá voltar a tramitar na CMA em 2019. Há a expectativa que a Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) tome a inciativa de apresentar um projeto que tramitaria como autoria do Executivo.

A vereadora Kitty Lima lamentou a decisão e avalia que houve uma orquestração para reprovação do projeto. “Já estava orquestrado, não teve o que fazer. Tentamos mais tempo para fazer audiência pública com os carroceiros mas não deixaram. Fui punida pelos meus posicionamentos e por ter proposto o projeto do desconto das faltas nos salários, nada meu passa na Câmara”, declarou Kitty.