+55 (79) 99632-2150
Cidades

Corregedoria confirma procedimentos contra o delegado Fábio Santana

Publicado em 21/06/2021 as 14:43

Compartilhar:
Corregedoria confirma procedimentos contra o delegado Fábio Santana

Na manhã desta segunda-feira, 21, a corregedora-geral da Polícia Civil, delegada Érika Farias, juntamente com o corregedor-adjunto, delegado Júlio Flávio, receberam, na sede da Corregedoria Geral da Polícia Civil de Sergipe, a equipe de reportagem do Fan F1 com o objetivo de prestar esclarecimentos sobre os procedimentos criminais e administrativos instaurados para apurar a conduta de dois delegados de polícia.

Na ocasião, os corregedores informaram que foram abertos um inquérito policial e um Processo Administrativo Disciplinar (PAD) com o intuito de apurar suposta conduta ilícita imputada ao delegado Fábio Santos Santana, atualmente lotado na Central de Flagrantes de Aracaju e que, ironicamente, é membro titular do Conselho Fiscal e de Ética da Associação dos Delegados de Polícia do Estado de Sergipe (Adepol/SE).

As denúncias contra Fábio Santana foram feitas por um cidadão que esteve preso na delegacia de Canindé de São Francisco no ano passado. Fábio era titular até maio deste ano.

De acordo com a Corregedoria, o inquérito policial foi concluído e remetido à Justiça no dia 8 de abril deste ano, sendo distribuído para a 3ª Vara Criminal de Aracaju (processo 202120300218). A Corregedoria disse ainda que até o momento o Ministério Público, responsável pela ação penal, ainda não se manifestou. Em outras palavras, o inquérito encontra-se parado há mais de dois meses aguardando a manifestação do promotor criminal.

Já o Processo Administrativo Disciplinar em desfavor de Fábio Santana ainda tramita na Corregedoria. De acordo com a assessoria de Comunicação da SSP,  Fábio Santana chegou a ser afastado cautelarmente por um mês da Delegacia Regional de Canindé de São Francisco, além de ter recolhidas sua arma e sua carteira funcional durante o período de afastamento. Como não houve prorrogação do afastamento, o delegado retornou às atividades e, em junho, foi transferido para a Central de Flagrantes de Aracaju.

A Corregedoria também confirmou a existência de procedimento investigativo em curso contra outro delegado de polícia, mas, além de não declinar o nome do investigado, ressaltou que não existe relação entre os dois casos. No entanto, o Fan F1 obteve a informação, por outras fontes, de que o segundo delegado passou a ser investigado após um alerta de movimentação financeira suspeita emitido pela Unidade de Inteligência Financeira (UIF) - antigo Coaf.

Diante da justificativa da Corregedoria-Geral de Polícia Civil de que não pode tornar públicos os processos, seja por conterem informações sigilosas, seja para que não haja prejuízo para as investigações, o Fan F1 sente-se no dever de buscar tais informações junto ao Ministério Público Estadual ou ao Poder Judiciário.

Recentes