Um adolescente de 16 anos esteve ontem, 3, no final da tarde com a mãe no Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) e disse que participou do crime que acabou na morte do sargento Marcos Antônio Borges de Campos, no Matapuã, no Mosqueiro, no último sábado, 1, à noite, quando o PM comemorava sua promoção como militar com familiares.

Um advogado também acompanhou o garoto à sede do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), no Bairro Capucho, em Aracaju (SE), que está à frente das investigações.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), o adolescente disse que teve envolvimento na morte do militar, mas negou tê-lo matado. O militar comemorava em sua chácara a recente promoção à graduação de sargento com familiares e amigos, quando dois indivíduos armados invadiram a propriedade, e não três, como havia sido divulgado inicialmente. O PM entrou em confronto com os bandidos e conseguiu alvejar, em legítima defesa, um deles, que veio a óbito, mas em seguida o policial foi atingido na região do tórax. O sargento ainda gravou um áudio pedindo socorro que foi repassado a grupos de whatsapp da polícia.