O Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural do país, decidiu na última quarta-feira, 20, que o acervo do sergipano Arthur Bispo do Rosário é Patrimônio Cultural do Brasil.

Sergipano de Japaratuba (SE), Arthur produzia elementos artísticos com materiais como vidro, madeira, plástico, tecidos, linhas, botões, gesso, e diversos itens recolhidos do lixo e da sucata.Diagnosticado com esquizofrenia-paranoide, morreu em 1989,  dentro de um manicômio do Rio de Janeiro e provocou discussão entre o limite da arte e a loucura.

Indumentárias, estandartes, vitrines, fichários, móveis, objetos (recobertos com fio azul ou não) e vagões de espera compõem o Acervo de Arthur Bispo do Rosário formado por 805 peças.

Foto: IPHAN