Foto: Leonardo Barreto-Fan F1

“Ele é um homem de Deus, com a bíblia nas mãos, virá em paz”, foi desta forma que Mendonça Prado avaliou a chegada do suplente de senador Virgínio de Carvalho Neto ao Democratas (DEM). Mendonça é presidente do partido em Sergipe e não sabia da filiação do pastor, o que provocou especulações sobre um possível golpe de Virgínio para tomada do partido. Mendonça disse que não teme este tipo de situação. O presidente do DEM, participou na manhã desta quarta-feira, 16, do Jornal da Fan.

A filiação de Virgínio foi feita via sede nacional em Brasília no prazo estabelecido pela Justiça Eleitoral para mudanças de partido, encerrado no dia 06 de abril. Para Mendonça isto aconteceu devido ao prestigio que o pastor tem na capital federal. “O cara é suplente de senadora Maria do Carmo (DEM), e tem os relacionamentos dele na sede nacional. Visto que as filiações podem ocorrer em qualquer diretório, é algo natural. O que eu lamento é apenas o histórico que traz consigo de ter sido filiado ao PSC”, alfinetou.

O pastor é presidente estadual da Igreja Assembleia de Deus em Sergipe e deixou o PSC, partido liderado pelo líder do Governo no Congresso Nacional, deputado federal André Moura.

Eleições 2018.

Durante a entrevista, Mendonça revelou que a convenção do DEM acontecerá no último dia do prazo estabelecido pela justiça eleitoral, dia 04 de agosto, por conta de questões administrativas das campanhas eleitorais. O democrata disse que precisa de tempo.

Mendonça ainda contou que tem articulado com vários partidos, mas nenhuma aliança foi definida ainda. Usando uma metáfora para comprar seu projeto político a uma marinete, o democrata disse que o primeiro a subir no “veículo” é o povo. “Não adianta encher a marinete de político e não ter o povo. Nossa preocupação é fortalecer nossa base. Já tivemos conversas com o PV, PROS, PTB, PSB, emfim, com todos.”, explicou.

Com a promessa de que fará uma campanha propositiva, Mendonça disse que está muito animado e crendo na sua vitória para o Governo do Estado.

 

 

 

 

 

 

 

 

Pré-candidato ao Governo pelo Democratas (DEM), Mendonça Prado,