O jornalista Ricardo Boechat, 66, está entre as vítimas da queda de um helicóptero na manhã desta segunda-feira, 11, na cidade de  Paulo (SP). Além dele, o piloto também morreu carbonizado. O motorista do caminhão fico ferido e foi socorrido pela concessionária da rodovia.

O helicóptero se chocou contra um caminhão por volta do meio-dia, logo abaixo do quilômetro 7 do viaduto do Rodoanel, no sentido rodovia Castelo Branco, próximo ao pedágio Jabaquara, na Grande São Paulo. Segundo o Corpo de Bombeiros, o piloto e o copiloto da aeronave morreram na hora.

A aeronave foi perdendo altura e foi direcionando justamente para o espaçamento do Rodoanel, onde há aquela vazão da pista debaixo. Então, percebi que ele foi perdendo altura. Pensei que fosse um pouso. Como estava muito rápido, a gente percebeu que era uma queda. Rapidamente surgiu muita fumaça escura”, disse um motorista que ia passando em reportagem ao uol.

Segundo informações da Band, onde Boechat trabalhava atualmente, o jornalista voltava de Campinas, no interior de São Paulo, onde deu uma palestra a convite de uma empresa farmacêutica, Libbs, que fretou a aeronave.

Na manhã desta segunda, Boechat falou em seu programa matinal no rádio sobre a sucessão de tragédias no país, como Brumadinho, e no ninho do Urubu, no Rio de Janeiro.

Boechat começou a carreira de jornalista na década de 1970, como repórter do extinto jornal Diário de Notícias, no Rio. Ele era filho de um diplomata brasileiro e nasceu em Buenos Aires, na Argentina. Ganhou vários prêmios como jornalista, entre eles, três Prêmios Esso. Atualmente, estava como diretor da Band.

Ele era casado pela segunda vez com Veruska Seibel, de 46 anos, desde 2005, e tinha duas filhas com ela: Valentina, 12, e Catarina, 10. Ele deixa outros quatro filhos: Bia, 40, Rafael, 38, Paula, 36, e Patricia, 29, frutos do casamento com Claudia Costa de Andrade.

Veja o vídeo do momento da queda da aeronave: