“Não sei de nada, ainda. Só sei que sou do lado da oposição”, disse o prefeito da cidade de Lagarto, na região centro-sul do Estado, Valmir Monteiro (PSC), ao ser questionado pelo jornalista George Magalhães, da Fan FM, sobre o seu posicionamento quanto às eleições 2018. A entrevista foi ao ar nessa quinta-feira, 13, no Jornal da Fan.

Com relação à formalização de uma parceria com o ex-deputado Rogério Carvalho em 2018, ele disse que ainda é cedo definir uma posição, mas adiantou que, se o petista partir para o lado do governo, não irá apoiá-lo.
Bole-Bole sempre – Apesar de dizer que ainda é cedo para pensar em campanha política, Valmir Monteiro, disse que não teria o menor problema em apoiar o deputado estadual Gustinho Ribeiro (PRP) em uma possível candidatura dele (de Gustinho) à Câmara dos Deputados, em Brasília. “Sempre fui Bole-Bole em Lagarto, grupo que sempre pertencei, então não vejo nenhum problema em apoiá-lo”, disse.

Já com relação ao filho, Ibrahim Monteiro, vereador e presidente da Câmara Municipal de Lagarto, Valmir Monteiro disse que não pediu voto para ele e que, se quiser se lançar candidato, “será pela vontade dele”, mas que irá apoiá-lo como pai.

Perdas na Saúde – Valmir Monteiro disse, também, que acionou o Governo do Estado judicialmente para reaver os repasses do Ministério da Saúde, que desde o ano passado estão indo direto para duas unidades de saúde comandadas pela oposição ao seu governo. Monteiro disse que essa mudança gerou uma perda de mais de R$ 1,2 milhão por mês e que entrou com a ação por orientação do próprio MS.

Segundo Valmir Monteiro, no final do ano passado, o então prefeito José William Fraga (PSDB) teria oficiado a Saúde do Estado, pedindo que os recursos fossem destinados diretamente à Maternidade Zacarias Júnior e ao Hospital Nossa Senhora da Conceição, “ambos sob o comando da deputada Goretti Reis e do ex-deputado federal Sérgio Reis, respectivamente”, frisou o atual prefeito. Antes desse pedido, as verbas eram encaminhadas para a conta do município.

Valmir Monteiro afirmou que levou essa situação à Justiça, por orientação do Ministério da Saúde. “Buscamos o Ministério da Saúde que nos orientou a entrar na Justiça. Entendemos que os recursos devem ser comandados pelo município, uma vez que Lagarto tem a gestão plena em Saúde na região. Então estivemos no Ministério da Saúde que nos deu essa orientação”, falou Monteiro.

Obras – Ele informou que, apesar da perda, vem realizando obras no município, o terceiro mais populoso do Estado e distante a 68 quilômetros da capital. Ampliou as especialidades médicas do Centro de Especialidades do município, passando de 11 para 43, assim como o número de equipes do Programa Saúde da Família (PSF), que saltou de sete para 21 e que nos próximos dias passará a 26. Disse ainda que vem reformando unidades de Saúde e o Centro de Zoonoses. As ações são executadas, segundo Valmir, com recursos do próprio município.

Valmir Monteiro cobrou a retomada das obras de revitalização da orlinha da barragem Dionísio de Araújo Machado, que, segundo ele, estão abandonadas há mais de um ano.

Enganação – Ele cobrou, também, a conclusão do mercado municipal que teria sido entregue em março ainda inacabada. Valmir Monteiro explicou que por isso, o mercado José Correia Sobrinho permanece fechado. “Foi uma enganação o que fizeram com o povo de Lagarto. O governador inaugurou uma obra sem terminar”, exclamou, ao informar que até agosto deverá entregar o mercado para o lagartense. Ele adiantou que irá dar o nome à praça de alimentação do mercado de Governador Marcelo Déda.

O secretário de infraestrutura do Estado, Valmor Barbosa, respondeu ao prefeito que a obra fora entregue após a vistoria técnica da equipe da prefeitura e que o que ficou pendente foi apenas a câmara frigorífica. Quanto às obras da barragem, Valmor Barbosa esclareceu que não é da competência da infra-estrutura, e sim da secretaria de estado de Turismo.

Pesquisa – O prefeito disse que encomendou uma pesquisa para ver a aceitação de sua administração, que revelou 75,8% de aprovação. Essa mesma pesquisa perguntou sobre possíveis candidatura ao senado e ao Governo e revelou que os senadores Antônio Carlos Valadares e Eduardo Amorim tiveram bons resultados. Valmir Monteiro não apresentou os índices dos dois senadores acerca dessa pesquisa.

Foto: Fan FM