Em entrevista ao radialista Narcizo Machado, durante o Jornal da Fan, na manhã desta segunda-feira, 13, o deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) manifestou sua insatisfação com o comando da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) em Sergipe.

O presidente estadual do órgão é o ex-deputado estadual e ex-prefeito de Itaporanga D´ajuda (SE), César Mandarino, que segundo Mitidieri, estaria fazendo uso político da Coodevasf para favorecer o ex-deputado federal André Moura (PSC).

“Eu defendo a nomeação de um novo presidente para Codevasf em Sergipe. Tenho restrições ao mandato de César. Todos os recursos enviado à Codevasf foram oriundos de emendas de bancada, ou seja, enviadas por todos os deputados e senadores, mas ninguém nunca viu qualquer um deles fazer entrega de equipamentos, por exemplo, apenas o ex-deputado federal André Moura faz isso, e pior, o presidente diz que os recursos chegaram apenas por conta do trabalho de André. Isso é uma palhaçada” apontou.

Durante a entrevista Mitidieri ainda comentou sobre sua ausência em votações importantes na Câmara, a Reforma da previdência, o corte de recursos para universidades e institutos federais anunciado pelo Governo Federal na semana passada e ainda sobre as declarações do ministro da Casa Civil, Onix Lorenzoni, a respeito da Universidade Federal de Sergipe (UFS).

O deputado federal ainda avaliou a gestão do Governador Belivaldo Chagas (PSD) e se posicionou sobre um possível rompimento entre o PT e o prefeito Edvaldo Nogueira (PC do B).

UFS

Alvo de críticas do ministro da Casa Civil, Onix Lorenzoni, a UFS, foi bastante defendida nos últimos dias por lideranças políticas e movimentos sociais ligados a área estudantil.

O deputado federal Fábio Mitidieri, repudiou as declarações do ministro. ‘Lamento muito que o ministro tenha ido a publico falar uma besteira daquela. Citar a UFS como referência de má gestão é um absurdo, porque na verdade  o que acontece é o inverso”, destacou.

Onix Lorenzoni apontou deficiências na UFS durante uma entrevista à Globo News, no começo deste mês. Segundo ele, a UFS não possui nenhum programa de pós-graduação com nota máxima do MEC e gera muitos custos ao governo.

A fala foi usada para justificar o corte de recursos para educação superior anunciado pelo Governo Federal. Mitidieri também criticou. ‘Dizer que vai tirar do ensino superior pa investir no básico é balela. Não podemos permitir que façam o que estão fazendo com nsosas universidades, sob o risco de enfrentarem crises financeiras e administrativas. O Governo Bolsonaro ainda não encontrou o rumo”, pontuou.

Ausência na Câmara

Levantamento feito pelo G1 aponta que durante votação de quatro  projetos importantes da Câmara o deputado Fábio Mitidieri não estava presente: a PEC que obriga o Governo Federal a executar todas as emendas parlamentares de bancada, em dois turnos; o texto-base do projeto que amplia o capital estrangeiro em empresas aéreas; e o projeto de lei que prorroga por mais 15 anos os benefícios fiscais concedidos a igrejas e instituições beneficentes.

O parlamentar disse que realmente não estava presente em dois dias, nos quais aconteceram as votações, mas apontou que estava presente em todas as outras votações importantes na casa e que isto está comprovado.

PT x PC do B

Faltando mais de um ano para eleições de 2020, se cogita bastante a possibilidade do PT lançar um candidato para prefeitura de Aracaju, só que a sigla, faz parte da base alidada do prefeito Edvaldo Nogueira (PC do B), que deve ser candidato a reeleição, o que acarretaria num rompimento do bloco.

Questionado se diante de uma situação de rompimento, de qual lado se posicionaria, Mitidieri, disse que foi muito correto com o PT até aqui, mas que seu apoio é a Edvaldo Nogueira.

Belivaldo

Apesar de ter demonstrado insatisfação com o atual cenário financeiro do estado de Sergipe, Mitidieri, que é aliado do governador Belivaldo Chagas, disse que Belivaldo tem se empenhando para superar a dificuldades e que tem humildade para dialogar, o que segundo ele, é fundamental para tirar o estado da crise.

Reforma da Previdência

O assunto promete continuar gerando impasse no Congresso Nacional. Fábio Mitidieri prometeu votar contra a Reforma se alguns pontos forem alterados. “Acreditamos que algumas questões não podem sofrer alteração, proque poem prejudicar o que mais precisam de apoio do poder público. desta forma continuaremos firmes da defesa uma reforma justa”, finalizou.