“Pedimos publicamente desculpas pelos danos materiais causados e nos colocamos à disposição para repará-los, pois nossa torcida é composta de pessoas honestas e que não aprovam qualquer tipo de depredação de qualquer natureza”. Esse foi o posicionamento da  Torcida Organizada Trovão Azul divulgado em nota, depois que representantes do grupo invadiram o campo do Estádio Sabino Ribeiro, na quarta-feira, 18, e depredaram as instalações do centro de treinamento e o carro de um funcionário do Confiança.

Na nota a torcida explica que está inconformada com o desempenho do clube e que foram ao Sabino Ribeiro apenas para conversar com os jogadores. ” Ao nosso ver, não é normal um time que começou tão bem ter tamanha queda no desempenho da forma que vem acontecendo.  Nos dirigimos à casa da nação proletariada, o Estádio Sabino Ribeiro, com o intuito de ter essa conversa com o elenco de forma pacífica. Entretanto, ao chegarmos, fomos impedidos de adentrar ao estádio. Um indivíduo que se diz funcionário do Confiança, em uma atitude extremamente autoritária, que não condiz com o suposto cargo que ocupa, em posse de uma barra de ferro, tentou impedir os membros que estavam adentrando ao [sic] estádio, pois segundo o mesmo, “ali a Trovão Azul não entraria”.

Esse impedimento é apontado pela torcida como sendo o motivo para a confusão. ” Nesse toar, alguns dos integrantes atiraram pedras com o intuito de revidarem a esta agressão gratuita e acabaram atingindo a vidraça da academia e o carro do fisioterapeuta do clube.”

Mesmo repudiando os atos de violência, a torcida tentou justificar a atitude dos torcedores que foram ao estádio. “É triste, porém tal postura nada mais é do que um retrato do que o Confiança tem se tornado. Criou-se uma verdadeira blindagem a qualquer tipo de crítica ou cobrança, como se o trabalho executado pela Diretoria fosse sempre perfeito. Entretanto, diferente do que alguns esperam, jamais fecharemos os olhos para o que entendermos que está errado. Nós como torcedores temos o direito e o dever de apoiar o time em qualquer circunstância e isso sempre fizemos e faremos. Entretanto, é também direito e dever do torcedor cobrar quando as coisas não vão bem.”

O Confiança repudiou os atos de vandalismos e disse que toda a torcida será responsabilizada. “Um clube que já não tem uma vida financeira estável ainda ter que arcar com esses prejuízos. Esse tipo de atitude não ajuda o clube, não é coisa de torcedor mas de vândalos”, disse Hyago França, presidente do clube.

Em nota, a Associação Desportiva Confiança diz que nada justifica a violência e a incitação da violência por parte de torcedores do clube. “Todos os funcionários e jogadores da Associação Desportiva Confiança são pais de família e merecem respeito. Ninguém gostaria de ser insultado e cobrado em seu local de trabalho, muito menos desta forma. A academia do clube está danificada e um profissional teve prejuízos financeiros. Não é deste jeito que os resultados em campo irão aparecer. Mais uma vez, o Confiança repudia imensamente este vandalismo que ocorreu no Sabino Ribeiro”, encerra a nota.