Diante do estado em que os corpos das 10 vítimas do incêndio no Centro de Treinamento do Flamengo foram encontrados, a identificação pode demorar de duas a três semanas.

Neste sábado, 9, o Flamengo entregou ao Instituto Médico Legal do Rio imagens das arcadas dentárias dos 10 jovens mortos  para agilizar a liberação dos corpos, que foram encontrados carbonizados. Com os desenhos dos dentes cedidos pelo Flamengo, os corpos podem ser liberados sem a realização do exame de DNA, mas caso arcadas estejam comprometidas, a análise do material genético terá que ser feita.

Quatro dos 10 mortos no incêndio já foram identificados. Dois corpos já foram liberados, os de Arthur Vinícius Barros da Silva Freitas, 14 anos e  Pablo Henrique da Silva Matos, 14 anos. Outros seis corpos ainda precisam passar por reconhecimento, entre eles, o corpo do sergipano de Lagarto (SE) Athila Paixão,  de 14 anos.