Um Inspeção do Tribunal de Contas do Estado (TCE/SE) no município de Tobias Barreto (SE), constatou que uma adutora construída para abastecer povoados da localidade não entrou em funcionamento ainda devido à falta de ligação com a rede elétrica. Além disso, segundo o TCE, a obra de cerca de R$ 5 milhões está inutilizada porque os poços, que deveriam ser usados para captação de água, estão situados em território baiano e o gestor da época não providenciou a outorga de uso da água para que o sistema pudesse entrar em funcionamento. Sem a outorga, a empresa de fornecimento de energia não pôde efetuar a ligação do sistema.

Diante da constatação, o Ministério Público de Contas (MPC) encaminhou ao Conselheiro Carlos Pinna do TCE o processo com pedido de citação do ex-prefeito, Adilson de Jesus Santos, o “Dilson de Agripino”,  responsável à época da execução do contrato.

No processo, o MPC ainda destacou que  o município de Tobias Barreto atravessa grave crise hídrica desde dezembro de 2018 e que “a não funcionalidade do sistema de abastecimento construído em 2016 poderia ser fator de agravamento dos problemas relacionados a água no município”.

O MPC de Contas cita ainda matérias veiculadas na mídia local que têm destacado a crise hídrica que atinge mais de 35 mil pessoas em Tobias Barreto. O abastecimento nas torneiras tem ocorrido por sistema de rodízio desde que a barragem do município reduziu o nível, em dezembro do ano passado.

Em entrevista ao Jornal da Fan, o ex-prefeito, Dilson de Agripino, informou que não tinha conhecimento do pedido do MPC e que irá aguardar a notificação do órgão para se manisfestar, mas já adiantou, que a ligação elétrica do sistema de abastecimento não foi feita porque não havia mais tempo em sua gestão, que foi finalizada em dezembro de 2016.