Acontece desde a manhã desta terça-feira, 18, a segunda fase da audiência sobre o caso da morte do líder sindical Clodoaldo Santos Melo, também conhecido como Barriga. Nesta etapa, as testemunhas de acusação escolhidas pelo Ministério Público são ouvidas no Fórum Desembargador Antônio Xavier Assis Junior, localizado no município da Barra dos Coqueiros (SE).

A audiência não pôde ser acompanhada pela imprensa, que também não teve acesso a nenhum dos depoimentos. Os sete réus, que respondem judicialmente ao processo, chegaram ao fórum por volta das 9h da manhã, em uma viatura do Departamento do Sistema Prisional do Estado de Sergipe (Desipe).

Os acusados estão sendo indiciados por homicídio doloso, quando há intenção de matar. Um deles é o ex-presidente do Sindicato dos Trabalhadores de  Manutenção e Montagem de Sergipe (Sindimont). André Silva Santana é apontado pelas investigações como o principal mandante do crime que vitimou o líder do SOS Emprego.

A previsão é que a audiência continue nesta quarta-feira, 19, quando alguns policiais serão ouvidos e, posteriormente, as testemunhas de defesa.

Na primeira fase, realizada no dia 17 de agosto de 2018, 16 testemunhas de acusação estavam em uma lista para serem ouvidas, mas apenas oito compareceram.

Entenda o caso – Clodoaldo foi assassinado no dia 14 de dezembro de 2017 com um tiro nas costas, na porta de casa e na presença do filho de 12 anos. À época, atuava como líder do SOS Emprego na Barra dos Coqueiros. Segundo as investigações da polícia, o crime teria sido encomendado pelo ex-presidente do Sindimont, que, juntamente com representantes do sindicato, teria pago dinheiro a Cesar Júlio Santos para efetuar os disparos.