Oito pessoas morreram em confronto com a polícia na manhã desta sexta-feira, 18, numa operação deflagrada pela Secretaria de Segurança Pública para prender os suspeitos na morte do comandante do Pelotão da Caatinga de Sergipe, capitão Oliveira. Outras três pessoas foram presas e foram conduzidas para o Centro de Operações Especiais (Cope), em Aracaju.

Duas mortes ocorreram no bairro Santa Maria, em Aracaju, duas no município de Poço Redondo, sertão de Sergipe, uma Paulo Afonso (BA), duas em Barreiras (BA) e uma em Luís Eduardo Magalhães (BA).

As investigações foram coordenadas pelo Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope), que se baseou nas informações checadas através do 181 e pelas diligências realizadas na investigação policial.

Sabe-se que a ação contra o comandante da caatinga mantém relação com um trabalho da Secretaria da Segurança Pública contra pistolagem, parte na região Norte da Bahia e alto sertão de Sergipe.

A operação aconteceu em setembro de 2017 e prendeu um trio relacionado com o crime de pistolagem na Bahia, Sergipe e Alagoas e tinha como foco em Pedro Alexandre, na Bahia.

Entre os mortos estão o ex-PM Brás, acusado de envolvimento com a morte do deputado Joaldo Barbosa, assassinado no dia 27 de janeiro de 2003, na porta de sua residência no Bairro

Delegada-geral Catarina Feitosa. Foto: SSP

Atalaia, em Aracaju.

Segundo a delegada-geral, Catarina Feitosa, até terça-feira, 21, a SSP dará entrevista coletiva sobre o caso, porque ainda haverá novos desdobramentos.