O índice de classificação Levantamento Rápido do Índice de Infestação (LIRAa) divulgado nesta quinta-feira, 16, aponta que dos 75 municípios, 21 encontram-se com alto risco de infestação, 44 com médio e 10 em baixo risco. No levantamento anterior eram 12 com alto risco.

O LIRAa revela que o estado de Sergipe não está mais sob epidemia de Dengue, porém, das 827 notificações, 594 são casos prováveis, 193 foram confirmados e quatro óbitos foram registrados com diagnóstico laboratorial positivo para a dengue.

“Isso nos preocupa porque é um momento onde, pelo comportamento da doença em anos anteriores, já era para estarmos apresentando um declínio da sua curva epidemiológica, mas na verdade a gente ainda tem um crescimento dessa curva. Por isso, é importante alertar os gestores para essa situação para que as ações sejam mais intensas no controle do vetor e na busca ativa de casos. As ações devem ser voltadas para destruição dos criadouros, atividades de educação em saúde, buscando parcerias com outras instituições, esse é o trabalho que tem que ser feito nesse momento”, reforçou a gerente do Núcleo de Endemias da Vigilância Epidemiológica do Estado, Sidney Lourdes Cesar Souza Sá.

Apoio da população – A população também precisa colaborar. O mosquito, da sua fase de ovo até a sua fase de larva leva, em temperatura normal, de sete a dez dias, mas, com o período de calor associado às chuvas, em sete dias ele já está adulto. “Esse levantamento mostra que tivemos um aumento significativo no número de vetor e de municípios infestados, então é importante que a população também fique alerta, para que nos ajude nesse trabalho de controle, a visita do agente passa, e a população precisa continuar com as medidas preventivas”, concluiu Sidney.

Sinais de alarme – Dor abdominal intensa (referida ou palpitação) e contínua, vômitos persistentes, acúmulo de líquidos (ascite, derrame pleural, derrame pericárdico), hipotensão postural e/ou lipotimia, hepatomegalia maior do que 2cm abaixo do rebordo costal, sangramento de mucosa, letargia e/ou irritabilidade, aumento progressivo do hematócrito.

Dicas de prevenção – Água limpa e parada é o ambiente ideal para a reprodução do mosquito da dengue e a melhor maneira de combater a doença é evitando a reprodução do mosquito. Assim, cuidado com acúmulo de água em vasos de plantas, em pneus, garrafas e outros utensílios, prestar atenção nos ralos, limpar calhas, colocar telas em janelas, cuidado com piscinas, lagos caseiros e aquários, abrir portas e janelas quando o carro fumacê estiver passando, lavar recipientes que juntam água, paredes de lavanderias e tanques com sabão e usar repelente.