O presidente estadual do PT e ex-deputado federal Rogério Carvalho disse que as decisões tiradas na reunião de segunda-feira, 17, quando o grupo Articulação Esquerda se recusou a votar pela indicação de um nome para representar o partido em 2018, foram legítimas. Nesta reunião, o nome dele foi levado à votação e aprovado por unanimidade para representar o partido na chapa majoritária das eleições 2018. Nessa sexta-feira, 21, ele tem uma reunião com a deputada.

“O grupo da deputada Ana Lúcia infelizmente se retirou na hora da votação desse item, não pelo mérito, mas por achar que esse não era o momento para discutir esse assunto”, disse Rogério Carvalho na manhã desta quinta-feira, 20, ao radialista George Magalhães, do programa Jornal da Fan, da Fan FM Aracaju. Ele explicou que não era mais possível adiar e que já havia adiado essa discussão por outras duas vezes, ambos adiamentos solicitados por Ana Lúcia.

Rogério Carvalho disse que o nome dele, como pré-candidato a uma vaga majoritária foi aprovado pelos 36, dos 48 membros do Diretório estadual que permaneceram na reunião. “Portanto, o resultado foi por unanimidade”, disse ao destacar que a intenção dele é disputar uma vaga ao Senado.

Para ele, a divergência será superada, porque a recusa e não participar da discussão foi um ato político e legítimo, e não pela questão de mérito de nome a ser votado. Na avaliação de Rogério, foi um entendimento da deputada, e do grupo que lidera, que aquele não era um momento oportuno.

Foto: Infonet