O promotor de Justiça da área de saúde do Ministério Público Estadual (MPE), Amilton Neves Brito Filho, foi conversar pessoalmente com os usuários do Centro de Atenção a Saúde de Sergipe (Case) que recebem insulina e que vêm denunciando da falta do medicamento. Para o promotor, a burocracia não justifica a falta de medicamentos de uso contínuo a pacientes do Case. A visita surpresa foi hoje, 27, de manhã.

Após ouvir as queixas dos pacientes e conversar com a coordenação do Case, Amilton Brito informou ao retornar ao MPE que averiguar o que tem provocado as frequentes desassistência de medicamentos no Centro de Atenção à Saúde de Sergipe (Case).

Disse ainda que constatou muita desorganização no local e a falta de insulina do tipo glargina do tipo Glargina há 20 dias e de outros 29 medicamentos na farmácia do Case.

Hoje de manhã, a Secretaria de Estadio da Saúde (SES) emitiu nota informando que a insulina do tipo Glargina havia acabado de chegar e que por isso, iria estender o horário de funcionamento no Case para atendimento dos pacientes que ainda não haviam recebido o medicamento.