Jarbas Feitoza de Carvalho Filho, de 33 anos – advogado assassinado

Na madrugada desta terça-feira, 26, foram presos em Aquidabã (SE) dois homens apontados pela polícia como responsáveis pela morte do advogado Jarbas Feitoza de Carvalho Filho, no último dia 11. Os homens foram identificados como Alcivan Barbosa de Andrade e Genison Pereira (autor dos disparos). Já havia sido preso nos primeiros dias da investigação Gutenberg Barreto, mais conhecido como “Papá”. O advogado foi vítima de crime de mando, como o Fan F1, já havia adiantado no dia 11 deste mês, após ouvir o delegado do município de Aquidabã (SE).

Em entrevista ao radialista Narcizo Machado, durante o Jornal da Fan, desta terça-feira, o diretor- geral do Complexo de Operações Policiais Especiais da Polícia Civil (Cope), delegado Denival Eloi, detalhou as investigações. Segundo ele, o “Papá” era homem de confiança do advogado, mas foi o mentor do seu assassinato. “O advogado era agiota, mas nem sequer conhecia as pessoas a quem o dinheiro era emprestado, o responsável por intermediar os empréstimos era o Papá, que na verdade, não emprestava a ninguém, ele simulava empréstimos. O advogado ficou desconfiado, e pressionou seu companheiro na agiotagem para saber da verdade, foi quando ele decidiu matar o advogado”, explicou.

Ainda segundo o delegado, a vítima foi levada até o local do crime, para uma suposta transação com animais. “Jarbas foi abordado por Genison, na presença de “Papá,” e acabou sendo alvejado e morto”, informou.

Os dois presos nesta terça-feira, 26, foram trazidos pela polícia à sede do Cope. As investigações tiveram o apoio da Divisão de Inteligência e Planejamento Policial (Dipol). Para polícia o caso está elucidado.

O advogado Jarbas Feitoza de Carvalho Filho, de 33 anos, foi morto a tiros na cidade de Aquidabã (SE) no dia 11 de março, por volta do meio-dia, onde morava e exercia a função de procurador jurídico do município. Ele era casado e deixou três filhos.