Um furto teria sido o motivo para assassinar uma mulher identificada como Denise Sollony, de 53 anos, no dia 24 de junho do ano passado, no bairro Farolândia, em Aracaju (SE). Esta foi a conclusão da polícia, após 10 meses de investigação. Denise, era transexual e foi assassinada por Adilson Porto Silva Filho, 28. A ação teve a participação de Naelson Araújo Fonseca, 24.

De acordo com a delegada do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa da Polícia Civil, Thereza Simony, Adilson confessou a prática do crime. “Ele disse que sua mãe e Denise haviam ido a um barzinho e lá Denise, supostamente, teria furtado uma certa quantia em dinheiro da bolsa da mãe no momento em que ela teria ido ao banheiro”, informou a delegada ao acrescentar que esse teria sido a motivação do homicídio.

Na noite de São João do ano passado, Adilson pediu a moto de Naelson emprestada e foi com uma pessoa, que a polícia ainda está investigando para saber quem teria sido esse terceiro participante, até à casa de Denise. Lá, Adilson, segundo a delegada, pulou o muro e efetuou os disparos que matou a transexual.

Na sexta-feira, 27, a polícia prendeu Naelson que confessou ter emprestado a moto ao concunhado. Já Adilson, conhecido também como Cajá-Cajá, foi preso por meio de uma denúncia anônima.

Segundo a delegada, Adilson tem passagem pela polícia por violência doméstica e roubo de carros. Há suspeita dele participar de um esquema de tráfico de armas.