A Polícia Civil concluiu nesta quarta-feira, 13 de fevereiro, que a morte da garotinha de 9 anos de idade no dia 3 de março de 2018, vítima de descarga elétrica, não foi por homicídio culposo, e que por isso, ninguém será indiciado. A perícia constatou que o fio de alta tensão que atingiu a vítima rompeu após uma descarga elétrica.

De acordo com o delegado Antônio Wellington, com o resultado do laudo foi descartada a possibilidade de que o fio tenha se rompido em função de um disparo de arma de fogo, como foi comentado por populares na época do fato.

Milena Rayane Silva Santos, morreu após receber uma descarga elétrica de um cabo que rompeu de um poste. A menina chegou a ser levada ao hospital, mas não resistiu. De acordo com relatos de testemunhas, a criança estava brincando na rua quando o cabo de um poste quebrou e a atingiu.

A Energisa informa que vai aguardar o laudo pericial para só então se pronunciar.