Por não prestar contas junto ao Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe (TRE-SE) do exercício financeiro de 2017, o diretório estadual do Partido Democrático Trabalhista (PDT) está com seu registro suspenso e, por consequência, repasses do fundo partidário bloqueados.

Segundo informações do TRE-SE, o presidente do PDT e deputado federal Fábio Henrique foi por diversas vezes intimado, mas preferiu ficar omisso e não enviou as informações. O julgamento ocorreu no último dia 8 de maio, quando os Pleno do TRE julgou as contas como “não prestada” e definiu como penalização a suspensão do registro  até a regularização.

Essa situação pode trazer instabilidade ao partido que está buscando se fortalecer para 2020, inclusive com a possibilidade de filiação do prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, há 38 anos no PCdoB. O processo está no TRE registrado sob o número 06002098520186250000.

Em nota, a assessoria jurídica do PDT confirmou que existem algumas pendências de prestação de contas. Segundo a assessoria, são situações que não foram provocadas pela presidência estadual do Partido. “Foram oriundas de falta de prestações de contas do partido em alguns municípios e que a responsabilidade recai sobre o diretório regional”, explica a nota.

A assessoria informou, também, que o PDT em Sergipe, nunca recebeu recursos de Fundo Partidário, somente destinado para as eleições de 2018.