Defesa jurídica, apoio popular e denúncia internacional, esses são os três pilares da estratégia para tentar registrar a candidatura do ex-presidente Lula à Presidência da República em 2018, foi o que garantiu o vice-presidente nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), Márcio Macedo. O líder petista e sergipano, concedeu entrevista na manhã desta sexta-feira, 20, ao Jornal da Fan, e revelou que  uniões de partidos opositores podem  acontecer em apoio a Lula.

“Vamos continuar com a defesa jurídica nos instrumentos que a defesa permite, vamos fazer resistência social e ainda buscar apoio de outros países através da denúncia internacional como já temos feito. A ex-presidente Dilma, o ex-ministro Tarso Genro e o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad estão rodando o mundo para denunciar o absurdo que está acontecendo aqui no Brasil. Não existe jurista no mundo que defenda o que Moro fez com Lula”, afirmou.

Marcio Macedo disse ainda que todas as pesquisas apontam a vitória de Lula em primeiro turno e isso precisa ser levado em consideração. “O povo quer. o poder emana do povo. Nos vamos ganhar. O PT jamais desistirá, somos um partido formado pela bravura e consciência do povo brasileiro, somos resistentes e nossa luta vai continuar”, garantiu.

PSB x PT

Após o rompimento entre o PT e o PSB em 2014, os dois ensaiam uma reaproximação no cenário nacional para ajudar o ex-presidente Lula. Marcio Macedo, garantiu que as tratativas estão na fase de conversa com as lideranças nacionais, e quem em Sergipe nenhuma movimentação ainda foi registrada. “Uma reunificação do PSB com o PT será sem dúvida uma atitude inteligente e mais do que em defesa do Lula, será em defesa da democracia e soberania do povo brasileiro”, pontuou.