Candidata pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB) à deputada estadual nas eleições de 2018, a advogada e ativista feminista Niully Campos, concedeu entrevista ao Jornal da Fan desta terça-feira, 19. Niully foi citada no programa dessa segunda-feira, 18, como candidata que mais recebeu recursos do fundo eleitoral de seu partido. A advogada garantiu a lisura de sua prestação de contas entregue ao Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe (TRE-SE).

“Quem acessar a prestação de contas verá tudo comprovado por nota fiscal e pagamento por meio de cheque nominal”, afirmou Niully.

A candidata confirmou a informação de que o Ministério Público Federal de Sergipe (MPF-SE) recorreu da decisão do Pleno do TRE-SE que por maioria aprovou as contas de sua candidatura com ressalvas. Em recurso o MPF-SE alegou que Niully prestou contas de despesas com pessoal sem a apresentação de  nota fiscal ,o que estaria em contrário às normas da Lei das Eleições. O órgão fiscalizador quer a devolução de R$ 215.264,21. O recurso agora depende de julgamento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Questionada sobre despesas com pessoal e com postagem de correspondências, a advogada mostrou segurança e referendou os dados apresentados ao TRE. “Eu como candidata estava fazendo campanha para mim, para meu governador e para meu deputado federal, é natural que as pessoas que estavam trabalhando para mim que pedissem votos para o candidato que apoiei, mas o que atesto é que, quem foi contratado por nossa campanha esteve focado em  convencer o povo sergipano da viabilidade de nossa candidatura”, declarou.

Ativista de movimentos feministas, a advogada reforçou a importância da política afirmativa que estabelece cota de gênero para as candidaturas em todo processo eleitoral. Em 2018, o TSE exigiu que além da cota no número de vagas, que houvesse também cota na repartição dos recursos oriundos do fundo eleitoral para financiamento de campanha.