Aline Silva de Carvalho, 32 anos, detida no dia 26 de abril de 2018 durante a consulta médica no ambulatório de Oncologia do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) por fraudar exames de uma outra paciente e mentir dizendo que tinha câncer foi indiciada por estelionato e falsidade ideológica. Ela aguarda a decisão da Justiça em liberdade desde o dia da prisão, quando após prestar depoimento, foi liberada.

Aline morava em Estância (SE), a 68 km da capital, e alegou em depoimento ao delegado Fernando Melo que o intuito da fraude era reatar o seu casamento. Para isso, ela simulou estar com câncer de mama e se submeteu a sessões de quimioterapia. Criou uma campanha nas redes sociais e chegou a arrecadar R$ 7 mil reais.

Mas, para o delegado da 8ª delegacia, o objetivo da acusada era mesmo arrecadar dinheiro e por isso concluiu o inquérito pedindo pelo indiciamento pelos dois crimes.