Com o objetivo de discutir as ações efetivas para a prevenção e enfrentamento de denúncias contra o assédio sexual, o Ministério Público Federal (MPF) e a Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da OAB/SE realizam um ciclo de Audiências Públicas com o tema “Assédio Sexual no Meio Acadêmico”. A primeira será realizada nesta às 19h dessa quinta-feira, 16, na Universidade Tiradentes, no minishopping do campus Aracaju, no bairro Farolândia.

A proposta da audiência é proporcionar um espaço para debates, compartilhamento de experiências, além de ampliar informações e conhecimentos aos estudantes, professores e colaboradores sobre a temática. “Com esta iniciativa, traremos para a universidade uma temática bastante delicada, porém, necessária. Trata-se de um momento no qual será oportunizado narrar experiências e discutir formas para prevenir o assédio sexual no meio acadêmico”, explica a coordenadora do curso de Direito do Campus Propriá e responsável pelo evento, professora Samyle Matos.

Nesta primeira rodada, terão representantes do Ministério Público Federal, da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da OAB/SE e da Unit. Durante o evento, a instituição de ensino lançará a campanha de Combate à Violência de Gênero. “A Unit entende a importância de ampliar essas discussões e desenvolverá outras iniciativas para que a comunidade acadêmica tenha cada vez mais conhecimento”, conta a professora Samyle.

Estão convidados para participar alunos, professores, demais funcionários e frequentadores das Universidades. “Será o momento para os interessados fazerem a exposição de suas impressões, experiências, sugestões, críticas sobre a realidade existente no âmbito universitário”, explica a procuradora regional dos direitos do cidadão Martha Figueiredo.

Outro objetivo das audiências é conscientizar a comunidade acadêmica e aperfeiçoar o tratamento dado à violência de gênero nas universidades. “Queremos incentivar à instituição de ensino a melhorar e avançar nos métodos utilizados em seus procedimentos administrativos para solucionar causas dessa natureza”, acrescentou a procuradora.

“Também queremos ouvir as Universidades. Saber as medidas adotadas, em adoção ou a serem adotadas de forma a prevenir tais ocorrências”, ressalta a integrante da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da OAB/SE, Valdilene Martins.

As audiências públicas têm apoio do Coletivo de Mulheres Livres, do Instituto Federal de Sergipe, da Universidade Federal de Sergipe e da Universidade Tiradentes.

Próximos eventos

As outras duas audiências já estão marcadas. A próxima será no dia 22 de maio, no auditório do Instituto Federal de Sergipe, em Lagarto. A terceira ocorrerá no auditório da reitoria da Universidade Federal de Sergipe, em São Cristóvão, no dia 27 de maio.