Os dois bloquinhos do Inácio Barbosa, que percorreram as ruas do conjunto da zona sul, até que estavam autorizados pelos órgãos competentes a desfilar nesse sábado, 16, mas os paredões que chegaram no meio da folia, atrapalharam o sucesso do evento, deram trabalho para a polícia e incomodaram moradores. De olho nesses resultados, o Ministério Público Estadual decidiu ajuizar ação, impedindo a realização de qualquer tipo de carnaval no bairro à beira do rio Poxim.

A Ação Cautelar Preparatória de Ação Civil Pública será ajuizada por meio da Promotoria de Justiça do Controle Externo e segundo o promotor de Justiça Eduardo Matos,  foi motivada após o MP receber diversas reclamações dos moradores do conjunto.

Ainda de acordo com Eduardo Matos, a festividade foi comprometida com a chegada de “paredões”, que gerou tumulto, interditou a Avenida Tancredo Neves e causou uma série de transtornos.

“Em razão desses infortúnios, a Promotoria de Justiça tomou algumas medidas: requisição de inquérito policial para apurar todas as responsabilidades de “paredões” e demais ocorrências no conjunto, visando a segurar o bem-estar e a tranquilidade e segurança dos moradores; recomendação à SEMA, SMTT e Emsurb para que não autorizem mais nenhuma festa no conjunto Inácio Barbosa e as que possivelmente tenham sido autorizadas, sejam canceladas”, completou o promotor de Justiça.

Os órgãos municipais também informaram ao MP que realizarão fiscalizações em todos os estabelecimentos situados no local.