Na manhã desta quarta-feira, 27, ambientalistas, lideranças comunitárias e moradores do bairro Jabotiana, em Aracaju (SE) bloquearam o acesso à obra da Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso), que aterra parte de uma lagoa doce. A deso constrói uma sub estação de tratamento de esgoto na área.

Manifestantes alegam que a lagoa está situada em uma área de várzea do Rio Poxim e que comunidade adotou a área para a prática de esportes, pesca, banho, entre outras atividades. Além disto, segundo eles, a lagoa hoje é um corpo hídrico incorporado à bacia do baixo Poxim, e certamente possui sua função hidrológica em uma região que constantemente sofre com inundações e alagamentos.

A comunidade local informou que a estação está sendo construída sem o devido esclarecimento dos impactos ambientais que a obra pode causar. Os moradores da área aprovam e exigem a construção da estação de tratamento de esgoto, mas exigem também respeito ao meio ambiente.

A Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema), informou que a a obra atende às exigências da Legislação Ambiental e que as irregularidades encontradas foram sanadas e a Deso já foi punida por isso. “Constatamos que houve avanço de uma área para transporte de equipamentos. A obra foi paralisada e depois foi retomada. Para que uma atividade como esta seja liberada, a Adema toma uma série de cuidados. As coisas não são feitas de qualquer jeito”, afirmou o diretor a Adema, Gilvan Dias