A Justiça acatou liminar favorável à desinterdição total do acesso ao Frigorífico Serrano, estabelecimento, que teve a entrada bloqueada na última quinta-feira, 14, em protesto para reabertura do matadouro municipal de Itabaiana (SE).  No final da tarde do sábado, a Polícia Militar de Sergipe realizou o trabalho de retirada dos manifestantes e liberou o acesso, mas as atividades no frigorífico só foram retomadas nesta segunda-feira, 18 de fevereiro.

O Frigorífico Serrano fica localizado no município de Itabaiana, região Agreste de Sergipe, e segundo a empresa, desde o bloqueio da rodovia estadual SE-255, que liga as cidades de Itabaiana à Itaporanga d’Ajuda, na última quinta-feira, 14, vinha amargando sérios prejuízos. O reflexo do desabastecimento da carne proveniente do abate no Frigorífico Serrano já é sentido em mercados e feiras livres de mais de 20 cidades do interior, além da capital. O estabelecimento é um dos dois únicos em Sergipe que tem licença ambiental e sanitária para funcionamento.

De acordo com a direção, carne de 600 animais paradas na Câmara Fria sem poder entregar aos clientes. Animais sem poder entrar com todos os acessos ao estabelecimento fechados e os currais, que têm capacidade para receber 800 animais por dia, vazios. “Duas carretas com subprodutos destinados à graxaria e 600 couros, estão apodrecendo”, citou o gerente do frigorífico, Diogo Teles.

Mais de 200 trabalhadores ficaram impedidos de trabalhar. Foto: Divulgação

Braços cruzados – De acordo com Diogo, a indústria contratou, recentemente, mais de 200 funcionários e ampliou o curral para atender a demanda do Estado. “É lamentável tudo isso que está ocorrendo. Nós estamos com 240 funcionários de braços cruzados desde ontem [sexta-feira, 15]. Nós não temos nada a ver com o fechamento de matadouros. Somos uma empresa privada que estamos prestando os nossos serviços. Só queremos trabalhar. É lamentável uma situação dessa”, disse.