“Hoje é dia de rock, bebê”, foi dita pela atriz Christiane Torloni, fã desse gênero de música,  em outubro, no Rock in Rio há sete anos. Hoje, 13 de julho, Dia Mundial do Rock, essa frase soa bem atual.

“Sergipe tem rock e várias novas bandas surgindo. Tem história. Tem a Karne Krua, onde tudo começou, com Sílvio Campos, que é a mais antiga, criada nos anos 80 e que ainda está em atividade com um punk forte; tem a Snooze, a Plástico Lunar, a The Baggios e várias novas surgindo entre as quais a El Presidente e a Cidade Dormitório”, disse Luno Torres baixista, cantor e compositor da banda Plástico Lunar (2001).

A banda Snooze surgiu em 1994 e faz um gênero indie, um tipo de rock mais leve que o Karne Krua. Já a banda Plástico Lunar, com os seus quatro integrantes, todos sergipanos, segue a linha rock progressivo, com inspiração em Pink Floyd, The Doors, Secos Molhados e Mutantes.

The Baggios, indicado ao Grammy Latino 2017 na categoria  Melhor Álbum de Rock ou Música Alternativa, não trouxe a estatueta, mas a dupla Júlio Andrade e Gabriel Carvalho com 13 anos de estrada, comemorou a indicação.

E a quê remete esta data?  O Fan F1 pesquisou e descobriu na revista Super Interessante que o Dia Mundial do Rock foi instituído informalmente no  festival Live Aid, em Londres e na Filadélfia. Na ocasião, Phill Collins, da banda Genesis, que participou dos dois shows, declarou aquele como o “Dia do Rock”.

Assista ao trecho do show da banda Plástico Lunar em 2015: