O carnaval está chegando e, no período, algumas orientações importantes devem ser seguidas para a folia não terminar em problemas gastrointestinais. As recomendações são da nutricionista Mayara Canuto, do Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe (HU-UFS), filial da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh).

De acordo com ela, apesar de ser uma época de descontração, a alimentação adequada é fundamental para evitar transtornos para o folião. “Como é um período de verão, de altas temperaturas, em que as pessoas transpiram muito, é importante aumentar a hidratação. A ingestão de líquidos é muito importante, seja na forma de água, suco ou água de coco, por exemplo, principalmente para quem faz uso de bebida alcoólica”, comenta.

Além da hidratação constante, a alimentação precisa ser mais leve. “O intuito é evitar o que chamamos de má digestão, que é quando a gente come e se expõe logo em seguida a atividades extenuantes, ir pular em um bloquinho, por exemplo. Alimentos mais leves evitam desconfortos como a hipoglicemia e os desmaios”, afirma Mayara.

Ela orienta que a ingestão de alimentos ocorra entre meia hora e uma hora antes de pular o carnaval. Já durante a festa, a pessoa pode optar por frutas, que também acabam colaborando para uma boa hidratação.

Bebidas

Outro alerta é sobre bebidas que não são alcoólicas, mas que necessitam de atenção redobrada. “Sempre que você toma algum tipo de líquido que exige mais água para excretá-lo do que a que ele fornece para você, como chá, café e refrigerante, a gente pede para você aumentar a fonte de líquidos que compensem essa exigência. Na verdade, o refrigerante, por exemplo, não é recomendado por vários outros motivos, pois sua composição tem corantes e outros itens que não fazem bem”, informa a nutricionista.

Mayara diz que se o folião vai aproveitar a festa durante o dia, o ideal é fazer refeições leves, de boa digestão, como sanduíches naturais. “São alimentos que fazem com que o açúcar seja liberado de forma mais lenta, então você consegue ter a energia necessária para curtir a festa”, explica.

“Já para a noite, você pode fazer sua alimentação normalmente durante o dia, jantar e ter um repouso de meia a uma hora antes de sair para pular o carnaval”, complementa.

Atenção redobrada

A nutricionista faz ainda uma observação sobre o consumo de alimentos comercializados no local da festa. “É muito importante observar atentamente a manipulação desses produtos, observar se a pessoa que serve usa luva, touca, se não pega em dinheiro e logo depois na comida. Prestar atenção em conservação, se a embalagem está íntegra, se não está amassada, enferrujada, a temperatura em que está armazenado o item, lembrando que alimentos servidos crus são uma das principais fontes de contaminação”, alerta.

“Além da hidratação e da escolha por itens saudáveis, o folião não deve permanecer longas horas sem se alimentar, evitando a baixa de glicose no sangue e sintomas como dor de cabeça, tontura e desmaios. Algumas opções de frutas ricas em água para ajudar na hidratação são melão, melancia, morango e folhosos como alface. Também é importante evitar frituras em geral e alimentos gordurosos”, completa.

Sobre a Ebserh

Desde outubro de 2013, o HU-UFS é filiado à Ebserh, estatal vinculada ao Ministério da Educação que administra atualmente 39 hospitais universitários federais. O objetivo da Rede Ebserh é, em parceria com as universidades, aperfeiçoar os serviços de atendimento à população, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), e promover o ensino e a pesquisa nas unidades filiadas.

O órgão, criado em dezembro de 2011, também é responsável pela gestão do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), que contempla ações nas 50 unidades existentes no país, incluindo as não filiadas à Ebserh.

Ascom Ebserh