Até o início da manhã deste sábado, 9, quatro dos 10 mortos no incêndio que atingiu o Centro de Treinamento do Flamengo no Rio de Janeiro, já haviam sido identificados. Dois corpos já foram liberados, os de Arthur Vinícius Barros da Silva Freitas, 14 anos e  Pablo Henrique da Silva Matos, 14 anos.

Outros seis corpos ainda precisam passar por reconhecimento, entre eles, o corpo do sergipano de Lagarto (SE) Athila Paixão,  de 14 anos.

A 5ª Promotoria de Justiça da Infância e da Juventude, do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), instaurou nessa sexta-feira (8) procedimento administrativo para apurar responsabilidades do Flamengo no tratamento aos adolescentes das categorias de base no centro de treinamento do clube, conhecido como Ninho do Urubu, na Vargem Grande, zona oeste do Rio.

Além disso, o MP oficiou o presidente do clube,  Rodolfo Landin, para que informe, em um prazo máximo de 48 horas, os nomes dos atletas que estavam alojados no Centro de Treinamento, se as famílias dos atletas estão recebendo assistência material e psicológica e se o clube está viabilizando a ida dos familiares dos atletas ao Rio, para aqueles que residem fora do estado.

Na área criminal, a investigação está a cargo da 42ª Delegacia de Polícia (Recreio dos Bandeirantes) e conta com o apoio do Grupo de Atuação Especializada do Desporto e Defesa do Torcedor.

Entenda o caso

Um incêndio atingiu o Ninho do Urubu, centro de treinamento do Flamengo, na manhã dessa sexta-feira (08) no Rio de Janeiro, deixando 10 mortos e três feridos.