A situação do mercado central e a dos feirantes que ocupam barracas na praça João XXIII, nas imediações da Rodoviária Velha foi tema de discussão na manhã desta sexta-feira, 21, no programa Jornal da Fan. Feirantes reivindicam permanecer no espaço, mas o presidente da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), Luiz Roberto Dantas, adiantou que, eles não irão continuar no local por muito tempo porque estão em condição irregular.

Segundo o feirante da Rodoviária Velha, Pedro Lourenço, a prefeitura não foi ao local para dialogar com eles. Pedro destacou que não atrapalham o movimento dos negociantes do Mercado Albano Franco, porque as vendas ocorrem mais à noite “Durante o dia é um pingado”, disse.

Ele informou ainda que paga uma taxa diária no valor de R$ 8. O feirante assegurou que o valor é cobrado por uma pessoa que se apresenta como dono das bancas e ressaltou que não é ninguém da Emsurb.

Por outro lado, Luiz Roberto, que esteve no estúdio da Fan FM a convite do radialista George Magalhães, disse que a Emsurb está aberta a diálogo com os feirantes e que vai dar condições para que todos os que ocupam aquele espaço possam se regularizar.

Bagunça – Segundo Luiz Roberto, a feira surgiu como uma ocupação irregular “à revelia. Foi uma bagunça o que fizeram ali! Enganaram os feirantes! Não houve critério algum”, afirmou. Ele avisou que a Emsurb vai agir com autoridade.

Luiz Roberto explicou que a prefeitura está dando continuidade ao recadastramento nos mercados centrais, incluindo o Chica Chaves, esse último no Bairro Industrial e que nos próximos 60 dias deverá estar concluído. Finalizado esse processo, ele afirmou que os feirantes serão chamados a conversar.

Ele adiantou que, até ontem, 20, a equipe do recadastramento já havia localizado 50 boxes vagos no Mercado Albano Franco e que esses espaços podem vir a ser ocupados pelos feirantes que hoje ocupam as vias irregularmente.