Morreu nesta segunda-feira, 12, aos 95 anos Stan Lee, uma das maiores lendas da indústria dos quadrinhos, que criou vários personagens da Marvel Comics. A filha de Lee confirmou a morte ao site de celebridades TMZ. “Meu pai amou todos seus fãs. Ele era o melhor homem e o mais decente”, diz Joan Celia Lee.

Ele entrou no negócio das HQs em 1939. O quadrinista participou da criação de super-heróis icônicos, como Homem-Aranha, Thor, Incrível Hulk, Demolidor, Pantera Negra e os X-Men. Ele foi editor-chefe da Marvel e fez aparições especiais em vários dos filmes da empresa. Mesmo com idade avançada, Lee continuava sendo o rosto da Marvel.

Morreu em casa – Segundo o The Hollywood Reporter, Lee deu entrada no Cedars-Sinai Medical Center em Los Angeles depois de passar mal em casa na manhã de hoje e morreu horas depois. Ele estava com pneumonia e tinha problemas nos olhos.  A esposa de Lee, Joan, com quem foi casado por 69 anos, morreu em julho do ano passado.

Ao lado de colaboradores como Jack Kirby e Steve Ditko, dentre outros, Lee levou a Marvel de uma pequena empresa para a número 1 dos quadrinhos e, depois, uma grande empresa multimídia. Em 2009, a Walt Disney comprou a Marvel por 4 bilhões de dólares. O filme de super-heróis de maior sucesso da história, Os Vingadores, traz personagens da Marvel e faturou 1,52 bilhão de dólares em 2012.

“Eu costumava achar que o que eu fazia não era muito importante”, contou ao Chicago Tribune, em abril de 2014. “Pessoas estavam construindo pontes e se engajando em pesquisa médica, e eu estava fazendo histórias sobre personagens ficcionais que fazem coisas extraordinárias e loucas usando uniforme. Mas acho que entendi que o entretenimento não é tão dispensável”.

Heróis humanos – Na década de 1960, Lee colocou personalidade em seus heróis, além dos poderes – o maior exemplo foi a criação do Homem-Aranha, que era um adolescente confuso, com dúvidas sobre sua vida. “As histórias dele me ensinaram que mesmo heróis como o Homem-Aranha e Hulk têm problemas no ego e com garotas e não vivem uma fantasia de macho 24 horas por dia”, disse o vocalista do Kiss, Gene Simmons, em 1979, citado pelo Hollywood Reporter. “Através da honestidade de caras como o Homem-Aranha, eu aprendi sobre os tons de cinza da natureza humana”.

Novaiorquino – Stanley Martin Lieber nasceu em 28 de dezembro de 1922 em Nova York, filho de um casal de judeus originário da Romênia. O pai era alfaiate e a mãe dona de casa. A família levava vida simples e Lee cresceu no Bronx. Ele gostava de ler e escrever desde cedo. Trabalhou escrevendo obituários em jornais, foi office boy e lanterninha de um teatro da Broadway e entregou sanduíches em escritórios no centro de Mnahattan. Ainda adolescente, trabalhou para a Timely Comics, que viria a se tornar a Marvel.

Seu primeiro trabalho foi uma página na revista do Capitão América, em 1941, quando adotou o nome Stan Lee. Com 17 anos, já estava trabalhando com quadrinhos em tempo integral. Na Segunda Guerra, Lee se alistou ao Exército e serviu na área de comunicações, fazendo manuais, slogans, filmes para treinamento e desenhos. Depois da guerra, retomou para sua posição na editora.