Representantes das ocupações que se instalaram na sede da Secretaria de Estado da Inclusão Assistência Social e do Trabalho (SEIT) foram recebidos no Palácio dos Despachos pelo secretário da casa civil José Carlos Felizola e pela secretária de de estado da Inclusão Social, Leda Couto.

O encontro aconteceu na tarde dessa quarta-feira, 13. Ficou decido que uma nova reunião deve acontecer no próximo dia 21 com o secretário de estado da Infraestrutura, Ubirajara Barreto. Diante disso, os ocupantes decidiram acabar com o protesto.

Felizola informou que dois chamamentos públicos abertos para construção de unidades habitacionais no 17 de Março, na região conhecida como Cabo do Revólver, mas deram desertas.

Entenda o caso

Cerca de 200 pessoas que moravam em ocupações do bairro Santa Maria e que ocupam a antiga clínica psiquiátrica Santa Maria no bairro Siqueira Campos se instalaram na sede da Secretaria de Estado da Inclusão Assistência Social e do Trabalho (SEIT). Os manifestante temem o corte do auxílio-moradia e cobram agilidade do governo para construção de casa populares.

Governo

Quanto ao auxílio-moradia, a secretária de de estado da Inclusão Social, Leda Couto, tranquilizou os beneficiários. “Por lei, temos que fazer visitas regulares com o objetivo de manter um acompanhamento. Temos a obrigação de identificar todos os beneficiários para ter o diagnóstico relacionado aos critérios estabelecidos na Lei nº. 7.150. Garanto que nada será feito sem antes voltarmos a nos reunir e discutir o diagnóstico encontrado”, explicou a secretária.