Wesllen Correia Santos

Mais uma polêmica envolvendo a morte de um detendo do Complexo Penitenciário Dr. Manoel Carvalho Neto, em São Cristóvão (SE), é registrada em Sergipe. Nessa segunda-feira, 18, um interno identificado como Wesllen Correia Santos, de 25 anos foi encontrado morto em uma cela do complexo. Ele era conhecido como “Lelo”, faria 26 anos nesta terça-feira, 19, e cumpria pena por homicídio qualificado.

Ontem, a Secretaria de Estado da Segurança Pública de Sergipe (SSP-SE) informou que o preso morreu por causa natural, mas a família dele denuncia que o laudo cadavérico do Instituto Médico Legal (IML), aponta que Wesllen teria morrido por politraumatismo, caracterizando um homicídio.

O corpo do detento está sendo velado na casa da família dele, no bairro Santa Maria, em Aracaju (SE). O caixão está fechado, porque segundo familiares, o corpo apresenta deformações e vários ferimentos.

Em nota, o Instituto Médico Legal (IML) informou nesta terça-feira, 19, que após uma análise inicial,  a causa da morte do detento, deve classificada como indeterminada. Informou ainda que serão realizados exames complementares para confirmar qual foi a causa da morte e que na sequência, será emitido o laudo conclusivo.

Outros casos 

No mês passado, dois detentos foram encontrados mortos no Copemcan. Um deles, irmão do vereador Anderson de Tuca, teve no laudo do IML a causa morte como tendo sido provocada por tiro de arma de fogo, enquanto o Departamento do Sistema Penitenciário (Desipe) afirmava que o interno morreu decorrente de ferimentos provocados por “Chuncho” durante uma confusão com outros presos.

Depois ficou esclarecido, que o detento de fato morreu por ferimentos feitos com chuncho.