Em entrevista ao radialista Narcizo Machado, durante o Jornal da Fan desta quinta-feira, 4, o ex-superintendente do Hospital de Urgências de Sergipe (Huse), Luis Eduardo, afirmou que cirurgias deixaram de ser realizadas por conta da falta de anestésicos, do mesmo tipo encontrado no consultório particular do médico Marcos Rogério Kroger Galo, denunciado à Justiça Federal pelo Ministério Público Federal por desvio de medicamentos da unidade hospitalar.

Segundo o MPF, a Polícia Federal apreendeu no consultório particular de Marcos Kroger 20 frascos de medicamentos anestésicos. Na investigação, ficou comprovado que os frascos apreendidos no consultório faziam parte de lotes adquiridos pelo Governo do Estado de Sergipe.

Marcos Kroger- médico/ Foto: Magna Santana

Em entrevista ao Jornal da Fan, o médico Marcos Kroger reafirmou sua inocência, disse que a PF apreendeu no consultório dele apenas “meia dúzia de embalagens vazias de anestésicos que inadvertidamente havia colocado no jaleco” quando saiu do Huse. Segundo ele este procedimento é extremamente comum. “Diante da correria, muitas das vezes a gente abre o medicamento, coloca o frasco vazio no jaleco e faz o descarte depois em outro local, quando lembra”, afirmou.

Marcos Kroger, ainda afirmou que estaria sendo vítima de perseguição, pelos gestores do Huse, no período em que a denúncia foi feita, 2018, no caso, o então superintendente Luis Eduardo. “Eu prefiro não revelar nome, mas irei à Justiça como deve fazer qualquer cidadão de bem e provarei minha inocência. Sou trabalhador, pai de família, tenho a ficha limpa e 25 anos de prestação de serviço à Saúde Pública do meu estado. Sou vítima de uma interpretação errada”, garantiu.

O ex-superintendente do Huse, Luis Eduardo, afirmou que quando chegou ao comando do hospital havia informações de desvio de medicamentos e até de uso político do hospital e que por isso uma comissão foi formada para apurar o caso, que depois foi levado ao MPF. “Constamos que em 2016, o Huse chegou a fazer uma quantidade exorbitante de cirurgias, que seriam eletivas, e foram realizadas como sendo de urgência, muitas encaminhas por pessoas, que na época eram candidatas a algum cargo eletivo”, afirmou, Luis Eduardo.

O médico Marcos Kroger, foi candidato a vereador de Aracaju pelo MDB em 2016, mas negou que tenha feito uso político do Huse