Aliado do prefeito de Aracaju (SE), Edvaldo Nogueira (PC do B), o governador do estado do Maranhão (SE), Flávio Dino, que é da mesma sigla, manifestou em entrevista ao radialista Narcizo Machado, durante o Jornal da Fan, desta quarta-feira, 15, seu desejo de que Edvaldo permaneça no PC do B.

Para ele o prefeito de Aracaju tem uma posição importante e se alinha perfeitamente com o campo político progressista e comunista defendido pelo partido. ‘Espero que ele namore, mas não case. Respeito muito os aliados, mas evidentemente quero que Edvaldo continue conosco”, pontuou.

Edvaldo já manifestou diversas vezes insatisfação com o PC do B, mas ainda não definiu em qual sigla irá se filiar.

Durante a entrevista, Flávio Dino ainda falou sobre a relação com o Governo Federal, sua gestão à frente do Maranhão e a situação do ex-presidente Lula.

Juiz federal aposentado, Flávio Dino, apontou que não aceitará interferências do Governo Federal em sua gestão. Temos a propositura do Plano Mansueto, que condiciona adequações fiscais a contração de crédito. É uma boa medida, mas ainda tímida, diante do que é necessário que seja feito para melhorar a economia do país, uma delas é a geração de empregos, assunto que nós não vemos sequer o Bolsonaro abordar”, destacou.

Bolsonaro

De acordo com o governador do maranhão, o presidente Jair Bolsonaro ainda não encontrou o rumo da gestão. “Já estamos no quinto mês do seu mandato e o que vemos é muita confusão. Há um desorganização na própria base do Governo. Fica difícil retomar investimentos no país, diante da incapacidade de governar e apresentar projetos”, pontuou.

Sérgio moro

Um outro ponto de crítica ao Governo Bolsonaro, foi a indicação antecipada do Ministro da Justiça, Sérgio Moro, para ocupar uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF). “Esta vaga ainda nem existe. Poerá se estabelecer daqui há 18 meses. É no mínimo uma descortesia com o STF. É lamentável que Moro esteja gastando energia com este tipo de situação, enquanto deveria estar preocupado com temas que de fato tragam efetividade as ações do estado brasileiro”, afirmou.

Crise

Mesmo com a crise financeira ainda enfrentada pelo país e a oposição ao Governo Bolsonaro, o estado do Maranhão dá exemplos de superação. Os professores estaduais recebem o maior piso do país. De acordo com o governador, foi preciso utilizar estratégias que provocassem a efetiva mudança do cenário que estava estabelecido. “Direcionamos os recursos do Fundo Nacional da Educação Básica (Fundeb) para o pagamento da folha. Enquanto conseguimos, fomos direcionando o pouco que havia para Educação. Conseguimos ampliar as vagas nas escolas, dobramos o número de pós-graduações e criamos uma nova universidade estadual. É importante lembrar que educação não é arroz, que você planta hoje e nasce amanhã, é preciso semear e cultivar com muita persistência e perseverança”, orientou.

Lula

Com elação ao ex-presidente Lula, Flávio Dino disse que espera a progressão de regime nos próximos dias. “É um direito garantido, a Lula e a qualquer outro brasileiro nesta situação. “Ele já cumpriu um ano e um mês de prisão provisória e tem direito ao abatimento no período e detenção. Não ter acesso a isso, porque determinado juiz não gosta dele é inadmissível”, finalizou.

Base de Alcântara

Em março deste ano o Governo Federal anunciou a liberação para que os Estados Unidos fizesse uso da Base de Alcântara (MA).

O local sedia o centro de lançamento de foguetes da Força Aérea Brasileira.

A proposta inicial era criar uma área de domínio dos EUA, que proibia a utilização da base pelo Brasil, devido à confidencialidade tecnológica.

Questionado sobre o assunto, Dino, disse que não há uma visão clara sobre o acordo de utilização, porque o projeto sequer começou a tramitar no Congresso Nacional. ‘Esta é mais uma ação que revela a desorganização desse governo”. finalizou.