“Eu não sabia de nada. Fiquei sabendo pela imprensa”, essas foram as declarações do diretor do Instituto de Identificação de Sergipe, Moisés Chagas, ao chegar na sede da unidade na manhã desta terça-feira, 17 e se deparar com equipes da Polícia Civil, que dão andamento aos trabalhos da “Operação Fênix”, que apura um esquema de vendas de RGs falsos, expedidos pelo Instituto de Identificação de Sergipe. Mostrando-se irritado, o diretor disse que ia buscar informações para saber o que estava acontecendo.

Foto: Fan F1

A delegada que coordenou as investigações, Mayra Evangelista, está no Instituto com agentes da Polícia Civil e não quis conversar com a imprensa até o momento.

Lucas Rosário/ Foto: Fan F1

O assessor de comunicação da Secretaria de Estado da Segurança Pública de Sergipe (SSP-SE), Lucas Rosário, informou que a decisão de levar as investigações em sigilo compete ao responsável pelas investigações, no caso a delegada. “Depois que finalizada a operação, todas as informações serão prestadas à imprensa”, garantiu.

Questionado se o diretor não ficou sabendo da investigação, porque também estaria sendo investigado, Lucas disse que não é possível confirmar essa informação agora, mas que a delegada falar sobre o caso ainda nesta terça-feira, 17.