Oficialmente, os deputados federais eleitos por Sergipe, nas eleições de 2018, gastaram R$ 8.754.150,84 com suas campanhas. O montante levanta a discussão sobre a distribuição dos recursos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) obriga a destinação de 30% dos recursos recebidos pelos partidos para candidaturas de gênero. A medida ainda não foi suficiente para aumentar a quantidade de mulheres eleitas.

O volume de recursos que os homens têm para as suas campanhas pode explicar essa realidade. Em 2018 Sergipe não elegeu nenhuma mulher para Câmara Federal. Entre os 20 candidatos mais votados, apenas duas mulheres: a vereadora Emília Correia (Patriotas) com 52.921 votos e a professora Ângela Melo (PT). Para Emília faltou cociente eleitoral, para que o partido tivesse direito à vaga, já Ângela ficou distante do segundo colocado com 13.528 votos.

Após denúncias de candidatas “laranjas” no partido do presidente da república, Jair Bolsonaro, (PSL), a discussão sobre o papel e a participação das mulheres na política passaram à pauta do dia no meio político e como todo tema polêmico divide opiniões. Há quem defenda a determinação como uma política afirmativa e necessária, mas têm os que defendem que “as mulheres não querem participar das campanhas”, e por isso, a determinação pode fazer surgir mais candidaturas laranjas.

Nos bastidores comenta-se que uma campanha não tem apenas esse custo oficial, informação que é de difícil apuração por parte dos órgãos fiscalizadores, já que a sempre combatida compra e venda de votos depende de denúncias, nem sempre feitas, por uma sociedade que parece cúmplice da prática.

Veja lista dos deputados federais eleitos e quanto cada um arrecadou oficialmente para campanha:

  1. Fábio Mittidieri – R$ 764.546,96
  2. Laércio Oliveira – R$ 1.774.553,58
  3. Fábio Reis – R$ 1.505.965,96
  4. Gustinho Ribeiro – R$ 849.900,00
  5. João Daniel – R$ 1.075.358,84
  6. Bosco Costa – R$ 2.130.630,00
  7. Valdevan Noventa – R$ 352.193,00
  8. Fábio Henrique – R$ 301.002,50

Outro detalhe sobre os deputados federais eleitos é que todos tiveram problemas em suas prestações de contas. Mittidieri, Laércio, Fábio Reis, Gustinho e João Daniel tiveram contas aprovadas com ressalvas. Já os deputados Bosco Costa, Valdevan e Fábio Henrique tiveram contas reprovadas e aguardam julgamento de recurso.