O presidente Jair Bolsonaro exonerou hoje (8) o ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, e anunciou o professor Abraham Weintraub para o cargo.

“Abraham é doutor, professor universitário e possui ampla experiência em gestão e o conhecimento necessário para a pasta”, escreveu Bolsonaro em sua conta no Twitter.

Professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Weintraub é mestre em administração pela Fundação Getulio Vargas (FGV). Executivo do mercado financeiro, atuou no grupo Votorantim e foi membro do comitê de Trading da BM&FBovespa. Em 2016, coordenou a apresentação de uma proposta alternativa de reforma da previdência social formulada pelos professores da Unifesp. Weintraub atua como secretário-executivo da Casa Civil, sob o comando de Onyx Lorenzoni. Ele assumirá o lugar do colombiano Ricardo Vélez.

“Aproveito para agradecer ao Prof. Velez pelos serviços prestados”, acrescentou o presidente.

A pasta vive uma crise profunda em meio a disputas entre militares, técnicos e seguidores do filósofo Olavo de Carvalho, uma das principais influências do governo. Em três meses no cargo, o colombiano Vélez Rodríguez, criou uma série de polêmicas como quando enviou uma carta a escolas pedindo que o slogan de governo fosse lido pelos alunos, ou quando afirmou que tiraria as referências ao golpe de 64 dos livros didáticos. Também acumulou demissões em cargos fundamentais para a gestão da educação no país.

Fonte: EBC/ Exame