O Departamento de Crimes Contra a Ordem Tributária (Deotap) concluiu as primeiras investigações sobre a intitulada “Máfia dos Shows”. O processo investigativo foi referente às contratações de shows artísticos e eventos realizados no período de 2009 a 2015.

As investigações analisaram contratos entre a Funcaju e empresas vinculadas ao empresário Téo Santana. O inquérito foi embasado em provas documentais; dados produzidos a partir de autorizações judiciais e provas testemunhais, incluindo artistas locais.

Segundo a polícia, diante do conjunto das provas, foram identificados os envolvidos nas ações investigadas, assim como a ocorrência contra a ordem econômica e patrimônio público.

A polícia explicou a imprensa que o inquérito foi liderado pela delegada Nádia Flausino, do Deotap, que detalhou o diagnóstico das contratações das empresas Téo Santana, Estruturart, Mega e Fama com a Funcaju.

De acordo com a delegada, constatou-se que as empresas citadas, todas do mesmo ramo (a prestação de serviços relacionados a shows e eventos) substituíam umas às outras, conforme os interesses do empresário. A intenção, segundo as investigações, era dominar fatia do mercado e obter proveito com as contratações com entes públicos.

Diante disso, foram indiciados Téo Santana, Jorge Luiz Santana (irmão de Téo), Adriana Santos (ex esposa de Téo), Aldemar Carvalho, Roosevelt Moura, Roberto Calasans, por crime contra a ordem econômica e estelionato majorado contra a fazenda pública, diante do conluio de empresas sob gestão unificada, além de organização criminosa pela reunião deliberada dos agentes visando a prática delitiva. Além disso, no caso específico da Funcaju, segundo a delegada, foi identificado caso de inexigibilidade de licitação fora dos casos legalmente previstos.

Notas dos envolvidos – No final da manhã Téo Santana e Josenito Vitale (ex-presidente da Funcaju) emitiram nota de esclarecimento negando qualquer tipo de fraude e afirmando estarem tranquilos no decorrer das apurações. Afirmam também confiança no trabalho da polícia e no poder Judiciário.

Veja a nota do vereador

Surpreendido com as informações divulgadas em entrevista coletiva pela Deotap na manhã desta segunda-feira ( 15), Josenito Vitale declara tranquilidade e convicção do estrito cumprimento das exigências legais e aguarda o encaminhamento do procedimento para manifestação do Ministério Público Estadual, colocando-se à disposição das autoridades e órgãos competentes para elucidação dos fatos. Por fim, registra sua plena confiança de que todos esses fatos serão esclarecidos e que sua conduta como homem público receberá um atestado de completa harmonia com a legalidade e com os interesses da sociedade.

Aracaju, 15 de abril de 2019

Josenito Vitale