Bibi Ferreira, grande diva do teatro brasileiro, morreu no início da tarde de hoje, aos 96 anos, após sofrer uma parada cardíaca.  Atriz, cantora, compositora e diretora, ela estava em sua casa, no Flamengo, quando sofreu um infarto fulminante, segundo o empresário dela, Nilson Ramam.

No ano passado, Bibi enfrentou uma série de problemas de saúde. Ela chegou a ser internada com quadro de desidratação. Em setembro passado, Bibi anunciou sua aposentadoria dos palcos, após 77 anos de carreira. Sempre ativa, com espetáculos diferentes na estrada, ela estava na época ensaiando um novo show dedicado ao cancioneiro de Dorival Caymmi. O repertório estava quase escolhido e a banda começava a ensaiar quando ela decidiu não mais se apresentar ao vivo.

Em uma nota oficial, Bibi disse que seguiria “uma vida mais reclusa, com a família e seus amigos mais íntimos, não estando mais disponível para entrevistas, mesmo por e-mail”. “Nunca pensei em parar, essa palavra nunca fez parte do meu vocabulário, mas entender a vida é ser inteligente. Fui muito feliz com minha carreira. Me orgulho muito de tudo que fiz. Obrigada a todos que de alguma forma estiveram comigo, a todos que me assistiram, a todos que me acompanharam por anos e anos. Muito obrigada”, dizia ela no comunicado.

Dama de Ferro – Filha do ator Procópio Ferreira e da bailarina Aída Izquierdo, Bibi é considerada a primeira-dama do teatro brasileiro, tendo estreado nos palcos com apenas 20 dias de idade, na peça “Manhãs de Sol”, substituindo uma boneca que desaparecera horas antes do espetáculo. Passou pelo colo de Carmem Miranda, tomou dicas de canto com Noel Rosa e estudou teatro em Londres em 1942. Até hoje, era uma das artistas brasileiras com uma das carreiras mais longevas.

Uol