Os deputados estaduais Francisco Gualberto (PT), Georgeo Passos (Rede) e o representante do Fórum Empresarial de Sergipe, Milton Andrade debateram durante o Jornal da Fan desta segunda-feira, 11, sobre a crise financeira enfrentada pelo estado de Sergipe e apresentaram seus posicionamentos sobre o problema grave que tem gerado impactos negativos aos sergipanos.

A mediação ficou por conta do radialista Narcizo Machado.

Da bancada de situação, o deputado Francisco Gualberto defende que a situação do Governo é bastante delicada e nada otimista. Apesar de concordar com ele neste sentido, o deputado Goergeo Passos apresentou dados, que segundo ele, demonstram melhora na arrecadação e sinalizam um cenário positivo. Já Milton Andrade, colocou o Forúm Empresarial à disposição para ajudar ao Estado e apresentou algumas propostas para isto.

Segundo ele, em 2017 a receita do estado cresceu 2% e os gastos cresceram 12%, evidenciando a crise financeira, mas que segundo ele deve ser enfrentada com a união de esforços. “Nesse momento em que o estado não consegue investir precisamos fortalecer as parcerias com a inciativa privada, para que isso vire o ciclo virtuoso da geração de emprego e crescimento econômico. Sergipe sempre teve a melhor renda per capita do nordeste durante 31 anos,  agora caímos para o 3º lugar e a expectativa é que em 2019 caiamos para o 5º lugar. É preciso que haja uma reformulação legislativa, melhorando o ambiente para negócios. Além da construção de parcerias publico-privada em setores estratégicos, que também possibilitem a realização de obras estruturantes”, apontou Milton Andrade.

Georgeo

Para Georgeo, as afirmações do governador Belivaldo Chagas, demonstram uma lamentação desnecessária. “Relatórios da própria Secretaria de Estado da Fazenda ão conta que a receita do estado tem crescido, inclusive no ano passado, ele aconteceu acima da inflação. Sei de todos os problemas que o estado enfrenta com relação aos gatos, mas que a receita tem crescido, isso é fato. Agora é preciso que o governador haja com transparência. O dinheiro está entrando e a gente tem dados que comprovam isto, agora precisamos saber por onde e como ele está saindo”, cobrou.

Francisco Gualberto

Já Gualberto usou uma analogia para dizer que as críticas de Goergeo tem cunho político, natural de quem faz oposição. Ele ainda usou exemplos de outros estados brasileiros que também enfrentam graves crises financeiras e apontou que o problema de Sergipe não é tão fácil de ser resolvido. ‘A receita pode até estar aumentando, mas esses recursos são destinados aos municípios, ao pagamento de fornecedores e tantos outros fins. São gastos que não param de aumentar e que exigem de qualquer gestor muita habilidade para segurar a onda. Falar é fácil”, concluiu.