Na tarde dessa sexta-feira, foram interditados eticamente os setores de esterilização,  aplicação de medição rápida, pediatria e observação masculina da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), Fernando Franco, na Zona Sul de Aracaju (SE).

De acordo com o Conselho Regional de Enfermagem de Sergipe (Coren-SE) um relatório feito no dia 11 de janeiro deste ano apontou diversas irregularidades dentro da UPA, como a ausência de climatização em setores essenciais o que pode provocar a alteração na composição de medicamentos, fiação exposta e ainda o risco de desabamento de uma janela.

Na prática, a interdição ética, proíbe a atividade de enfermeiros nos setores descritos acima. O atendimento na UPA só será feito a pacientes que cheguem ao local com alto risco de morte.

Médicos da UPA já estavam sob interdição ética desde o dia 7 de janeiro deste ano, por conta de problemas na escala, gerados com todo o impasse da contratação via Pessoa Jurídica e terceirização da UPA Nestor piva na Zona Norte.

O gerente da Rede de Urgência e Emergência da Secretaria Municipal da Saúde de Aracaju disse que ficou surpreso com a interdição, já que a unidade passa por reforma e as intervenções solicitaras estão sendo executadas.

O Coren-SE informou, que quando as adequações foram feitas, a interdição pode ser retirada.

A prefeitura de Aracaju não estabeleceu prazo para conclusão da reforma e o pleno funcionamento da UPA.