O atendimento no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) está prejudicado até sexta-feira, 11, e só voltará ao normal no sábado, 12, por causa da paralisação dos condutores das ambulâncias. A categoria protesta contra atrasos  de salários, falta de reajuste salarial e de estabilidade na carreira.

A paralisação começou às 7h desta quarta-feira, 09, e das 59 ambulâncias, 18 ficam paradas até o final do protesto. “Nossos salários são pagos com atraso e não temos reajuste salarial há mais de cinco anos. Além disso, com a extinção da Fundação Hospitalar de Saúde (FHS), não sabemos como vão ficar as coisas”, disse o presidente do Sindicato dos Condutores do Samu, Robério Batista.

Hoje pela manhã, em entrevista ao Jornal da fan 1ª Edição, o governador Belivaldo Chagas tranquilizou os servidores da FHS e disse que a situação está sendo muito bem analisada pela procuradoria da SES e da Fundação.